Viena Siderúrgica S/A

Infra-estrutura

Indústria

Quatro altos-fornos estão instalados em uma área de mais de 400 hectares, sua planta industrial é moderna e eficiente tendo sido construída com a mais alta tecnologia, incluindo um sistema de injeção de carvão pulverizado (ICP) além de Termoelétrica e Sinterização.

A Viena emprega 500 trabalhadores diretamente na usina em Açailandia.

 

Florestal

Para atender um dos seus objetivos básicos, a de produção de "gusa verde", a Viena planta florestas desde 1.989, possuindo atualmente 30.261 hectares reflorestados, já atingindo a sua auto-suficiência em área plantada para o nível de produção atual.

Com isto a empresa está participando significativamente na melhoria da qualidade de vida das pessoas na sua região de atuação, gerando mais de 2.500 empregos entre diretos e indiretos na cadeia produtiva, contribuindo para a fixação das pessoas no interior do país. Como conseqüência do benefício sócio-econômico, os municípios da área de atuação da Viena apresentam uma destacada elevação dos seus índices de desenvolvimento humano (IDH), bem acima da média nacional.

O investimento firme em desenvolvimento tecnológico florestal através dos anos, com destaque para as ações de melhoramento genético dos eucaliptais visando o aumento contínuo do rendimento das florestas, apresentam os seguintes resultados: genótipos bastante diversificados, constituídos de clones testados de altíssimas produtividades (média de mais de 42 metros cúbicos de madeira por hectare por ano, sendo a meta de 48 metros cúbicos), como resultado de uma rigorosa seleção entre mais de mil clones, considerando, entre outras, as variáveis resistência a doenças e pragas, qualidade da madeira, capacidade de regeneração.

Paralelamente ao melhoramento genético, a Viena investe também nas demais áreas da atividade florestal, tendo um viveiro de produção de mudas de miniestacas apicais com capacidade de 6 milhões de mudas por ano e um moderno sistema de fertirrigação. Os adequados tratos culturais das florestas (preparo de solo, adubações, controle de mato-competição etc.) também contribuem para o pleno desenvolvimento das florestas, cujas produções são acompanhadas anualmente pela área de inventário florestal da Universidade Federal de Viçosa.

Tudo isto permite que a Viena produza o “gusa verde”, que é social e ecologicamente sustentável, dando sua contribuição para a redução do efeito estufa, através da recaptura do carbono no processo de fotossíntese.

 

Carbonização

A produção de carvão vegetal de eucalipto iniciou em fornos pequenos de alvenaria. Um sistema de baixo controle no processo de carbonização, onde não há recuperação dos produtos voláteis que são lançados no meio ambiente.

A necessidade de agregar valores ao carvão vegetal motivou a Viena a buscar novas alternativas, sempre inovando buscando novas tecnologias, em setembro de 2008 a empresa iniciou suas operações de produção em unidades carbonizadoras de grande porte, denominados fornos retangulares. Os mesmos têm capacidade de 200 m³ sólidos de lenha de eucalipto, com produtividade de 15000 m³ de carvão vegetal/mês, em três unidades de 16 fornos.

Os fornos retangulares possibilitam a produção de carvão vegetal numa base industrial moderna, utilizando máquinas para carga e descarga, além de permitir a queima da fumaça poluente exalada durante a carbonização, configurando-se em um sistema onde a atividade do carvoejamento é economicamente viável, ecologicamente correta e socialmente justa.

Seven Internet